JESUS, O NOSSO CRISTO, TE AMA!!!

RÁDIO EVANGÉLICA!!
AMIGOS, COMPARTILHEM ESSE BLOG!
Facebook Twitter Google+ Pinterest Reddit LinkedIn Addthis Delicious Digg Evernote Myspace NetLog Netvibes Tumblr WhatsApp

BY BG

220
Fãs
528
Fãs

Artigos

Opiniões

segunda-feira, 14 de abril de 2008

POLÊMICA NO ORKUT 2

MEU ORKUT?

Enquete polêmica dos evangélicos no orkut.

SEXO ORAL. (anônimo)
Pq esse tópico? Muitos como eu acreditam que essa forma de desejo n é em si um pecado, mas tem um porem:  Só pode ser realizado se satisfazer os dois (casal). Quero que deixem suas opiniões com toda sinceridade.

9 mar Celeste
desde que casados a unica coisa que DEUS proibe é o sexo anal se são casados pode-se tudo menos ser contrário a palavra de DEUS

9 mar:D IRMANAS :D
desde que os dois queiram
acredito que isso tem que ser de entendimento do casal e ser desejo dos dois, caso uma das partes sinta-se violentado já passa a ser errado. Quanto ao sexo anal, também sou contra mas nunca li na bíblia que é proíbido, mas no meu entendimento realmente não é certo, porém penso que pode ser aplicado da mesma maneira que o oral...

10 mar█║▌│█│║▌║││█║
POIS È SIM MUITO ERRADO.
Saibamos que um territorio de terra e de pessoas foi totalmente destruido com a ira de Deus porr causa da imoralidade (Sodoma e Gomorra). Sodoma já vem de sodomitas. Vamos analizar: Efeminados é o companheiro passivo; Sodomita o companheiro Ativo. Deus nao só abomina como tabem castiga. Apesar de sr uma coisa muito feia....

10 marKezia -♥ Amigos,
Urraaaaaaaaaaaaaaaaaa!! Que tema hem???? Muito dificil de se opinar, porque cada cabeça pensa de um jeito. Eu particularmente acho nojento, mas.... respeito quem tem outra opinião. Quanto ser pecado, acho que não, desde que ambos concordem. A bíblia diz se dois estiverem em comum acordo....!! Hem????? opinem ai.

10 marAramstrong
Deêm uma olhada
Neste site
http://www.unasp.edu.br/kerigma/opiniao09.asp tem um artigo interessante não só sobre esse tema mais também sobre outras formas de sexo.Também tem uma tabela mostrando uma pesquisa feito no meio evangélico sobre sexo, vale a pena conferir.
11 marLeandro
jOnThAn ♥ ┼૯
Sodoma e Gomorra foram destruidos por causa que os homens queriam se fazer de mulher, ou seja eram homosexuais. E quanto ao topico, a palavra nos diz que dentro do casamento só interessa ao casal, o que eles fazem ou não é problema deles, desde que seja somente entre eles e dentro do casamento.

17 mar*Carlos Alberto*
Cada cabeça uma sentença. Primeiramente SEXO é para casais casados, homem e mulher, o que passa disto é errado pecado.Antes do casamento, pecado, fornicação.Entre pessoas do mesmo sexo, pecado homossexualismo.Entre parentes, pecado (irmãos, pais e filhos) próximos, incesto.Sexo entre casais, fica a critério de cada casal até onde pode ou não pode. Uns julgam errado outros julgam certo, mas se ha duvida, entre certo ou errado, não faça, pois na duvida mora o pecado. Não estou aqui dizendo que sou praticante ou não praticante, nem mesmo que alguem venha a praticar modalidades diversas de sexo, mas que cada um respeite o desejo do seu parceiro, pois não é afrontado quem livremente da permissão, pois cada cabeça uma sentença. Como diz Paulo. Um julga que de tudo pode comer e o outro que é fraco come legumes, quem come carne não julgue quem come legume e quem come legume não julgue quem come carne.Mas meu conselho é que os que não fazem, não façam e os que fazem, se puder, deixem de fazer, mas aquele que tem duvida se faz ou não, não faça.

22:32 (7 minutos atrás)Edson
a ignorância é o vigor da humanidade nos tempos atuais, principalmente quando se trata de sexo a luz da Bíblia, as opiniões se diferenciam entre os que gostam e os que não gostam, os que se amam incondicionalmente e os que são mal amados condicionadamente, os conservadores fanáticos e os modernos liberais. A Bíblia se olhamos no seu contexto geral permite 99% de tudo relacionado a sexo entre homem e mulher dentro do casamento e 1% é invenção animalesca, a Bíblia te da respaldo para fazer o sexo, pois ele foi criado por Deus para a procriação dos seres, o sexo oral se trata de beijos e caricias no parceiro(a) como e todo o corpo, apartir do momento que você sente nojo desse ato ou do parceiro, é sinal que está tudo errado. A bíblia não condena o sexo oral, os religiosos, luxentos e mal informados sim e ainda trazem ate versículos bíblicos isolados para impor suas opiniões. Claro tudo é licito mas convém prudência, se o teu coração não te condena tende paz com Deus. Devemos tomar cuidado para não fazermos o que não é do agrado de Deus, a bíblia nos ensina a nos amamos com honra não como aos mundanos que se desonram e se denigrem com seus sexos animalescos como: Homossexualismo, bis-sexualismo, sexo anal, pedofilia, incesto, zoofilia, bigamia, swing, sexo fora do casamento e tantas outras aberrações animalescas que o homem inventa.



Deus em cristo Jesus vos abençoe.

3 comentários:

Anônimo disse...

A paz a todos os irmãos. O problema não está na Escritura Sagrada, tampouco nas diretrizes que os santos ensinamentos salvaguardam aos que temem ao Senhor. Acerca do tema abordado, a saber, sexo oral e anal, é de fácil verificação quanto a sua permissividade, pois a natureza corporal impõe os seus próprios limites. Citaremos às observações de Ivair Augusto Costa, Bioquímico da Universidade Grande Rio-R.J, feitas sobre as questões supracitadas, nos seguintes termos:"Como cristãos precisamos entender que a religião ou o casamento não santifica a tudo, e que nossa vida está sujeita à realidade física. Esse princípio de contaminação, infecção e doença, são inexoráveis e não fazem distinção entre cristãos e mundanos.
Se nos envolvermos em práticas sexuais sem higiene e antinaturais sofreremos as mesmas conseqüências de estarmos violando princípios de saúde que são universais.
O sexo oral segue a mesmo princípio do sexo anal, o da contaminação por microorganismos estranhos ao compartimento biológico envolvido. A contaminação ocorre por bactérias, fungos e até vírus de compartimentos biológicos originais (pênis e vagina) infectando o sistema oral-digestivo (boca, laringe, faringe, esôfago e o estômago).
O sexo oral coloca em contato a boca com os órgãos genitais e assim dois compartimentos biológicos bem diferentes em função e flora de microorganismos, se contaminam.
As bactérias e fungos presentes na vagina são muito numerosos , no entanto convivem ali em uma ´população´ de microorganismos que se auto regula, uma impedindo a outra de se tornar muito grande e agressiva ao trato genital. Mas quando certa bactéria é introduzida em um compartimento biológico diferente, por exemplo, na laringe (garganta), ela encontra outros microorganismos que pode destruir e se instalar como invasora, causando infecção.
Culturas de secreções da garganta de pacientes, revelam um resultado positivo ao crescimento de bactérias (Estreptococos), que não eram para estar ali; seria normal encontrá-las no trato vaginal, mas estão nas amídalas do paciente. Essa bactéria causa uma infecção de garganta, junto com febre, amigdalite e os sintomas secundários de uma infecção bacteriana. Após esse episódio o sistema imunológico ganha resistência e capacidade para combater a bactéria; mas se novamente reintroduzida, ela continuará causando infecções que serão mais brandas, ou de acordo com a situação do sistema imune, poderá novamente causar uma infecção grave.
As mulheres têm de realizar um controle semestral do trato genital, fazendo exames que recolhem a secreção vaginal, para observar como o epitélio e o útero estão. Como a vagina sofre muito atrito pela relação sexual, recebe bactérias e fungos vindos do pênis, e o próprio compartimento é muito rico em uma flora de microorganismos; as agressões são mais constantes a mulher e os exames semestrais se tornam essenciais.
Doença como a Herpes labial, é exclusivamente de origem do Herpes genital, produzida pela mesma família de vírus. O epitélio vaginal é muito parecido com o epitélio dos lábios, e assim o vírus da Herpes se instala ali com facilidade; e o principal meio de infecção é o sexo oral. A Herpes labial também pode alcançar os lábios por contaminação de água de piscinas, praia etc. Mas é mais comum pelo sexo oral. Esse vírus da Herpes na vagina causa lesões na parede vaginal, assim como as lesões que aparecem nos lábios.
O Sexo Oral é muito popular entre homossexuais, e é a principal forma de se obter prazer entre as lésbicas. Não convém a nós cristãos, por motivos de saúde e moral, participarmos dessas práticas anti-naturais.
Uma pesquisa entre homossexuais revelou que eles eram vítimas de infecções repetidas por determinado parasita intestinal, porque constantemente se infectavam ao ter suas relações sexuais por sexo oral. A pesquisa concluiu que eles estavam se infectando com parasitas encontrados nas fezes dos parceiros, e pelo contato da boca no sexo oral, eram re-introduzidos no organismo. Apesar de fazerem o tratamento com medicamentos, não conseguiam se livrar da parasitose, pois suas práticas sexuais permitiam a reinfecção.
O uso da camisinha protege das infecções, mas não elimina o prazer antinatural que o sexo oferece. Muitas pessoas têm uma preferência especial pelo sexo oral e anal; e a prática desses tipos de sexo é reservada como algo especial e fora da rotina, se sobressaindo em prazer ao sexo natural por penetração.
Outros se viciam na prática e querem exclusivamente o sexo anal ou oral, e a penetração é totalmente sem prazer a eles. Isso porque em nosso hipotálamo, onde a sexualidade é regida, a memória sexual do prazer é intensificada ´nas trilhas´ (rotas neurais) que se utilizam do sexo oral e anal; e as ´trilhas´ de memória para o sexo por penetração, são ´vias secundárias´ para o prazer. A prática constante de qualquer hábito leva à memorização e escolha natural do hábito.
Para mudarmos os hábitos sexuais, é necessária uma conscientização sobre os malefícios das práticas, e insistir na prática daquilo que é saudável e natural; o cérebro se encarrega de voltar a priorizar ´as trilhas´ de prazer para a nova prática e devolver a intensidade do prazer.
Normalmente sentimos prazer no pecado, mas se insistirmos em fazer o que é justo, Deus nos capacitará por sua Graça a sermos transformados em nossa mente – “E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Rm 12:2)[...]Na anatomia humana, o anus e o reto, são partes do aparelho intestinal para eliminar as fezes; e esses compartimentos biológicos e o material fecal que ali está, é muito rico em bactérias. Algumas dessas bactérias possuem flagelos, que são caudas que usam para nadar em meio aos líquidos e superfícies de mucosas. Essas bactérias não causam infecções no intestino, pelo contrário, auxiliam no processo de decomposição do quimo (massa de alimento vindo do estômago). Algumas produzem vitaminas que acabam sendo absorvidas pelo intestino oferecendo uma saudável relação de mutualismo com o ser humano.
Mas essas bactérias em outro compartimento biológico, que não seja o intestino, causam sérias infecções.
A Microbiologia revela que culturas de urina e secreções vaginais para diagnósticos, na maioria dos resultados, nas mulheres é positiva para o crescimento de bactérias intestinais. Isso porque as mulheres têm infecções urinárias que podem se tornar corriqueiras, caso não saibam fazer bem sua higiene pessoal após defecar. Como a vagina e uretra estão muito próximas do ânus, por vezes pode ocorrer uma contaminação de restos de fezes que esbarram nos pelos púbicos se a mulher se higienizar de trás para frente; ou até mesmo se a roupa intima for contaminada, pode servir como fômite (instrumento de contaminação). As infecções urinárias em mulheres, por bactérias intestinais são muito comuns devido a essa implicação da higiene nas mulheres; é muito comum também em meninas pequenas e adultos senis que não se higienizam direito.
A principal vilã é a bactéria Escherichia coli, muito comum no intestino, mas que causa infecção no trato urinário e vaginal. A E. coli é uma bactéria que possui uma grande mobilidade por que é caudada, e se desloca em soluções de continuidade, muito abundantes no trato genital feminino e um pouco menos no masculino.
O mesmo ocorre em uma relação sexual por penetração anal, onde o pênis arrasta matéria fecal, que é introduzida depois na vagina da mulher, contaminando com bactérias. A higiene do pênis com água e sabonete não minimiza a contaminação; as bactérias não são removidas com água e sabão. O material fecal é removido supostamente, mas as bactérias são microscópicas e se aderem nas dobras da pele, e só seriam removidas com solução alcoólica ou outra solução anti-séptica, para se fazer uma assepsia (eliminar totalmente as bactérias). Esse tipo de procedimento é feito nas cirurgias, ou pequenas cirurgias, e mesmo assim o processo não é perfeito e são necessários os antibióticos após a cirurgia. Sendo assim o argumento de se higienizar os genitais depois da prática do sexo anal, não funciona perfeitamente.
Toda vez que se pratica sexo anal, seguido de sexo vaginal, a mulher sofre uma contaminação; e muito dos problemas ginecológicos que as mulheres sofrem são decorrentes de infecções sintomáticas ou sub-clínicas recidivas.
O homem também é prejudicado, pois se não estiver de camisinha, essas bactérias podem subir pela uretra, alcançando próstata e bexiga. A situação se agrava após a relação sexual, pois a abundancia de solução de continuidade na uretra facilita o deslocamento de bactérias caudadas como a Escherichia coli. A camisinha, no sexo anal, só protege o homem.
Constantes infecções e agressões aos órgãos sexuais e seus anexos, podem levar até mesmo ao câncer. É muito comum nas mulheres o câncer de colo de útero, câncer do epitélio vaginal e câncer no próprio útero, causado pelas constantes infecções e agressões de bactérias, fungos e vírus, levando à formação de lesões e depois ao tumor.
No homem o câncer de próstata pode estar relacionado às infecções causadas por essas bactérias, mas também por outros fatores.
Anatomicamente, o ânus não suporta a fricção do ato sexual, causa fissuras e pode comprometer o esfíncter anal, dependendo de como o sexo é praticado. Esse tipo de penetração não traz prazer à mulher, pois não existe plexos nervosos de estímulo ao prazer nesta região do intestino. O prazer vem de outros estímulos secundários à penetração.
O sexo anal é muito popular, pois desde cedo os menino (as) vêem os animais abordando sexualmente as fêmeas, e aquilo lhe impressiona (como toda questão sexual) e desde cedo imaginam que o mesmo ocorre com o ser humano. O animal aborda sua fêmea sempre por trás, mas eles nunca alcançam o ânus, e sempre a vagina!
Essa formação tem seu valor, pois aí começa o amadurecimento sexual das crianças, em observar os animais; mas seria bom informarmos como realmente ocorre. É a ignorância que nos faz adotar costumes e práticas irracionais (deprimente animalismo) ou destituídas de bom senso.
Mas alguns homens e mulheres sentem prazer na ´posição´, ou seja gostam também de abordagem sexual por trás; não haveria problema, se o fizesse mas alcançando a vagina. Assim posições no sexo poderiam ser exploradas de forma saudável.
O que ocorre na mente masculina é o que prejudica a saúde sexual e o prazer feminino. O homem, às vezes, nota que com o passar dos anos, e alguns partos, a mulher perde seu tônus muscular na vagina; ele passa então a crer que o sexo anal lhe ofereceria mais prazer.
A mulher pode dispor de cirurgias que corrigem as distrofias que os partos causam, e ainda há exercícios que fortalecem os músculos que circundam a parede vaginal e podem melhorar o desempenho sexual da mulher.
Mas há situações imaginativas em que o homem apenas pensa ter maior prazer, e essas correções precisam ser feitas pelo próprio indivíduo com um exame de consciência."
Tais pareceres foram dissertados do ponto vista científico-acadêmico levando em consideração os efeitos nocivos que as praticas supramencionadas podem trazer para os praticantes das mesmas. Com isso, podemos tirar várias conclusões. Por que um casal deveria entrar em acordo para praticar felação (sexo oral) e sodomia(sexo anal)? Haja vista, queridos irmãos,no que concerne ao sexo natural, isto é, o sexo vaginal não é necessário que os nubentes entrem em acordo pré-nupcial, pois ambos possuem a perfeita consciência que a prática sexual natural está implicitamente contida nos atos nupciais. Ora, reiterando as indagações acima escritas podemos inferir que as práticas de felação e sodomia são "contra natura", ou seja, estão completamente alijadas dos oráculos de Deus para a vida moral do homem. Ademais, tais práticas submetem, principalmente, às mulheres a situações constrangedoras de humilhação e escárnio, relegando as mesmas um papel coadjuvante na relação marido/mulher. Enfim, seria muito mais conveniente advogar acerca do sexo oral e anal, mas, acima de tudo, temos a responsabilidade de trazer à luz da Verdade quais são os padrões morais a serem seguidos pela cristandade.

A citaçaõ supracitada se encontra em http://palestrante.blogspot.com/2007/01/sexo-oral.html

Anônimo disse...

O teu conceito é valoroso você só esqueceu de falar a respeito do beijo da troca de saliva, da aids da conorreia, da falta de amor, da ignorancia, do divórcio, do jugo, dos fariseus, das doenças, da fome, da falta de sabedoria, é da falta de crescimento nas igrejas, da falta de socialismo, da politica e de tantas outras coisas que pensamos ser certo para satisfazermos nosso ego, que se torna faresismo e hiprocrisia de nossas partes como o falso moralismo, ou faça o que eu falo mas não o que eu faço, tudo que você faz hojé prejudica a sua saúde, seja mas sensato com suas ideias.

Anônimo disse...

[url=http://achatcialisgenerique.net/]cialis medicament[/url] cialis moins cher
[url=http://comprar-viagra-generico.net/]generico viagra[/url] viagra
[url=http://commandercialis.net/]cialis sans ordonnance[/url] cialis prix