JESUS TE AMA..

SEGUIDORES ABENÇOADOS..

224
Assinantes
270
Fãs
186
Fãs
609
Seguidor

Artigos

Comentou

AMIGOS CURTAM ESSE BLOG!!

terça-feira, 25 de setembro de 2012

QUESTIONÁRIO DE DOUTRINAS 07 - A EXPIAÇÃO - Part 01.


DOUTRINA DA EXPIAÇÃO

PARTE 01.

01. PORQUE ESTUDAMOS OS SACRIFÍCIOS DO VELHO TESTAMENTO?
R: Pela simples razão de que na palavra "sacrifício" temos a chave para o significado da morte de Cristo.

02. QUANDO FOI LANÇADO O PLANO DA EXPIAÇÃO? DÊ UM VERSÍCULO PARA APOIAR ESSA AFIRMAÇÃO.
R: Antes da criação do mundo, Deus, que conhece o fim desde o princípio, proveu um meio para a redenção do homem. Apocalipse 13:8. E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.).

03. QUANDO FOI A EXPIAÇÃO INSTITUÍDA NA TERRA?
R: Desde o princípio Deus ordenou uma instituição que prefigurasse o sacrifício e que fosse também um meio de graça para os arrependidos e crentes.

04. DESCREVA O PRIMEIRO SACRIFÍCIO E O QUE SIGNIFICA.
R: A primeira menção de um animal imolado ocorre no terceiro capítulo de Gênesis. Depois que pecaram, os nossos primeiros pais se tomaram conscientes da nudez física — o que era uma indicação exterior da nudez da consciência.

05. QUAIS AS DUAS IDÉIAS FUNDAMENTAIS QUE DERAM ORIGEM AOS SACRIFÍCIOS PRATICADOS, MESMO PELOS PAGÃOS, EM TODOS OS TEMPOS EM TODA PARTE? EXPLIQUE O SIGNIFICADO.
R: Apesar de serem perversões do modelo original, os sacrifícios pagãos baseiam-se em duas ideias fundamentais: (coração e expiação) 
(1) O homem reconhece que está debaixo do poder de uma deidade tendo certos direitos sobre ele. Como reconhecimento desses direitos, e como sinal de sua submissão, ele oferece uma dádiva ou um sacrifício.
(2) Frequentemente, entretanto, tomando-se consciente de que o pecado perturba a relação, instintivamente ele reconhece que o mesmo Deus que o fez, tem o direito de destruí-lo, a não ser que algo seja feito para restaurar a relação interrompida.

06. QUE REVELA ROMANOS 1:19-32 COM RESPEITO A QUEDA DAS NAÇÕES NA IDOLATRIA? QUAIS OS TRÊS PASSOS NESSA DEGRADAÇÃO.
R: As nações se afastaram da adoração pura de Deus e cedo perderam de vista sua gloriosa divindade. O resultado foi a cegueira espiritual. Em lugar de verem a Deus por meio dos corpos celestes, começaram a adorar esses corpos como deidades; em vez de verem o Criador por meio das árvores e dos animais, começaram a adorá-los como deuses; em vez de reconhecerem que o homem foi feito a imagem de Deus, começaram a fazer um deus da imagem do homem. Desse modo a cegueira espiritual conduziu à idolatria.

07. QUE PROPÔS DEUS FAZER POR MEIO DE ABRÃAO?
R: O plano de Deus era fazer de Abraão o pai de uma nação que restauraria ao mundo a luz do conhecimento e a glória de Deus.

08. QUAIS OS QUATRO SACRIFÍCIOS OFERECIDOS PELOS ISRAELITAS, E COM QUE PROPÓSITO?
R: Os sacrifícios mosaicos eram meios pelos quais os israelitas rendiam ao seu Criador a primeira obrigação do homem, a saber, a adoração. Tais sacrifícios eram oferecidos com o objetivo de alcançar comunhão com Deus e remover todos os obstáculos que impediam essa comunhão. Por exemplo, se o israelita pecasse e dessa maneira perturbasse a relação entre ele e Deus, traria uma oferta pelo pecado — o sacrifício de expiação. Ou, se tivesse ofendido ao seu próximo, traria uma oferenda pela culpa — o sacrifício de restituição. Depois que, estava de bem com Deus e com os homens e desejava reconsagrar-se, oferecia uma oferta queimada (holocausto) — o sacrifício de adoração (Levítico capítulo 1). Estava então pronto para desfrutar de uma feliz comunhão com Deus, que o havia perdoado e aceito; portanto, ele apresentava uma oferenda de adoração — sacrifício de comunhão. (Levítico capítulo 3.).

09. DE QUE MANEIRA CUMPRIU CRISTO O PROPÓSITO DESSES SACRIFÍCIOS?
R: O propósito desses sacrifícios cruentos cumpre-se em Cristo, o sacrifício perfeito. Sua morte é descrita como morte pelo pecado, como ato de levar o pecado (2ª Coríntios 5:21). Deus fez da alma de Cristo uma oferta pela culpa do pecado (tal é a tradução literal de Isaías 53:10); ela pagou a dívida que não podíamos pagar, e apagou o passado que não podíamos desfazer. Cristo é a nossa oferenda queimada (holocausto), porque sua morte é exposta como um ato de perfeito oferecimento próprio (Heb. 9:15); Ele é a nossa oferta de paz, porque ele mesmo descreveu sua morte como um meio para se participar (ter comunhão com) da vida divina. (João 6:53,56), (vide Levítico 7.15, 20).

10. ATÉ QUE PONTO ERA OS SACRIFÍCIOS DO VELHO TESTAMENTO “BONS”?
R: Eles eram bons no sentido de terem cumprido um determinado propósito incluído no plano divino, isto é, um meio de graça, para que aqueles do povo de Jeová que havia pecado contra ele pudessem voltar ao estado de graça, serem reconciliados, e continuarem no gozo de comunhão com ele.

11. MENCIONAR OS QUATRO ASPECTOS EM QUE O SACRIFICIO DO NOVO TESTAMENTO É MELHOR DO QUE O DO VELHO TESTAMENTO.
R: Embora reconhecessem a divina ordenação de sacrifícios de animais, os israelitas esclarecidos certamente compreendiam que esses animais não podiam ser o meio perfeito de expiação.
1) Era evidente que o sacrifício do animal não podia comparar-se em valor à alma humana, nem tampouco exercer qualquer poder sobre o homem interior. Nada havia no sangue da criatura irracional que efetuasse a redenção espiritual da alma, a qual somente seria possível pela oferta duma vida humana perfeita (Hb 10:4).
2) Os sacrifícios de animais são descritos como "ordenanças carnais", isto é, são ritos que removeram contaminações do corpo, e expiaram atos externos do pecado (Hebreus 9:10), mas em si mesmos nenhuma virtude espiritual possuíam. 
3) A repetição dos sacrifícios de animais denuncia a sua imperfeição; não podiam aperfeiçoar o adorador (Hebreus 10:1, 2); isto é, não podiam dar-lhe uma posição ou relação perfeita perante Deus, sobre a qual pudesse edificar a estrutura do seu caráter.
4) Os sacrifícios de animais eram oferecidos por sacerdotes imperfeitos; a imperfeição de seu ministério era indicada pelo fato de que não podiam entrar a qualquer hora no Santo dos Santos, e, portanto, não podiam conduzir o adorador diretamente à divina presença.

12. QUE FOI REVELADO A JEREMIAS ACERCA DA REDENÇÃO FUTURA?
R: Deus confortou a Jeremias com a promessa da vinda dum tempo quando, sob uma nova aliança, os corações do povo seriam transformados, quando haveria então uma perfeita remissão dos pecados (Jeremias 31:31-34).


13. FAÇA UM COMENTÁRIO SOBRE HB 10:17,18 e 10:6-10.
R: "Porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados." Em Hebreus 10:17,18 encontramos a inspirada interpretação dessas últimas palavras em que se concretizaria uma redenção perfeita mediante um sacrifício perfeito que dava a entender que os sacrifícios de animais haviam de desaparecer. (Vide Hebreus 10:6-10). Por meio desse sacrifício o homem desfruta duma experiência "uma vez para sempre" que lhe dá uma aceitação perfeita perante Deus. O que não se conseguiu pelos sacrifícios da lei obteve-se pelo perfeito sacrifício de Cristo.

14. EM QUE BASE FORAM SALVOS OS CRENTES DO VELHO TESTAMENTO? EXPLIQUE O PROCESSO.
R: Foram salvos por antecipação do futuro sacrifício realizado na cruz, porque havia pessoas verdadeiramente justificadas antes da obra expiatória de Cristo. Abraão foi justificado pela fé (Romanos 4:23.) e entrou no reino de Deus (Mateus 8:11; Lucas 16:22.); Moisés foi glorificado (Lucas 9:30, 31) e Enoque e Elias foram transladados. Sem dúvida houve muitas pessoas santas em Israel que alcançaram a estatura espiritual desses homens dignos.

15. QUE PENSAMENTO HB 9:15 SUGERE?
R: Que a Antiga Aliança era impotente para prover uma redenção perfeita. Cristo completou essa aliança e inaugurou a Nova Aliança com a sua morte, a qual efetuou a "redenção das transgressões que estavam debaixo do primeiro testamento".

16. QUE BENEFÍCIOS DESFRUTAM OS CRENTES DO NOVO TESTAMENTO, QUE NÃO DESFRUTAM OS DO VELHO TESTAMENTO?
R: Se perguntassem aos crentes do Antigo Testamento se durante a sua vida gozaram dos mesmos privilégios que aqueles que vivem sob o Novo Testamento, a resposta seria negativa. não havia nenhum dom permanente do Espírito Santo (João 7:39.) que acompanhasse seu arrependimento e fé; não gozavam da plena verdade sobre a imortalidade revelada por Cristo (2ª Timóteo 1:10), e, de modo geral, eram limitados pelas imperfeições da dispensação na qual viviam. O melhor que se pode dizer é que apenas saborearam algo das boas coisas vindouras.

17. QUE AFIRMAM OS ESCRITORES MODERNISTAS LIBERAIS COM RESPEITO À MORTE DE CRISTO? QUE DIZEM OS EVANGELHOS?
R: Alguns escritores da escola "liberal" defendem a teoria de que a morte de Cristo fora acidente e tragédia.! Ele teria iniciado seu ministério com grande esperança de sucesso, segundo eles, mas depois viu-se envolvido em certas circunstâncias que ocasionaram a sua destruição imprevista, à qual não pôde escapar. Os Evangelhos dizem a respeito da morte de Cristo que segundo o seu testemunho, Jesus sabia desde o princípio que o sofrimento e a morte faziam parte do seu destino divinamente ordenado.

CONT..

DEUS EM CRISTO JESUS VOS ABENÇOE.

Nenhum comentário: